Opinião

Cancro e doença cardiovascular – Importância dos programas de reabilitação
Rita Asseiceiro
23 Fev. 2021

Conheça a opinião da Dr.ª Sofia Viamonte, médica fisiatra, diretora do Centro de Reabilitação do Norte e coordenadora do programa ONCOMOVE® da Associação de Investigação em Cuidados de Suporte e Oncologia (AICSO), sobre a segurança e o benefício do exercício no doente oncológico no que se refere ao sistema cardiovascular.

Estratégias terapêuticas de combinação com imunoterapia estão a mudar o paradigma do tratamento no carcinoma de células renais metastizado
Prof.ª Doutora Isabel Fernandes
07 Dez. 2020

O carcinoma de células renais (CCR) representa cerca de 2 a 3% de todos os tumores e a sua incidência tem aumentado nos países ocidentais. Existe um predomínio no sexo masculino (1,5 homens: 1 mulher), com um pico de incidência na sexta década de vida.

ESMO 2020: Novidades no cancro do pulmão em tempos COVID-19
Dr. Fernando Barata
10 Nov. 2020

A pandemia implicou uma ESMO virtual. Quando avaliamos os fatores de risco para morte e hospitalização em 1012 doentes com tumores torácicos que desenvolveram COVID-19, constatamos que fatores como: pior estado geral, estadio avançado, fumadores, idade superior a 65 anos, previamente submetidos a quimioterapia versus imunoterapia e sob corticoterapia se associava a uma elevada mortalidade (32%).

O papel da imuno-Oncologia no tratamento do cancro da cabeça e pescoço
Prof.ª Doutora Cláudia Vieira
28 Jul. 2020

O cancro de cabeça e pescoço (mais frequentemente espinocelular) é o sexto tipo de tumor mais frequente no mundo e responsável por 1-2% de todas as causas de morte. As taxas de curas são melhores na doença localizada ou locorregional, contudo a sobrevivência aos 3 anos não ultrapassa os 40%. Existem diferentes prognósticos conforme a localização, o tipo histológico e os fatores de risco associados, além, obviamente, do estadio ao diagnóstico.

Carcinoma do ovário: novos biomarcadores, novas terapêuticas?
Dr.ª Noémia Afonso
17 Dez. 2019

A terapêutica do cancro do ovário (CO) manteve-se praticamente inalterável durante um longo período e a investigação de biomarcadores com potencial impacto na prática clínica revelou-se lenta ao longo dos anos. Tradicionalmente, o tratamento do CO tem por base a cirurgia de citorredução máxima, a quimioterapia à base de platino, eventualmente associada a tratamento concomitante e de manutenção com o anti-angiogénico bevacizumab. 

Três décadas de rastreio de cancro da mama em Portugal
Dr. Vítor Rodrigues
12 Nov. 2019

No âmbito do Dia Nacional de Luta Contra o Cancro da Mama, assinalado no dia 30 de outubro, o Dr. Vítor Rodrigues, presidente da Liga Portuguesa Contra o Cancro, faz um ponto de situação dos 30 anos do rastreio do cancro da mama em Portugal. Leia o artigo de opinião na íntegra.

Hiperplasia benigna de próstata: o que é, como se deteta e como se trata
Prof. Doutor Estevão Lima,  coordenador Nacional da Urologia da CUF
08 Out. 2019

A próstata é uma glândula exócrina do aparelho genital masculino fundamental para a reprodução. A sua principal função é segregar um conjunto de substâncias que são responsáveis, entre outras funções, pela liquefação do esperma depois da ejaculação e pela preservação dos espermatozoides para a fecundação através dos nutrientes e bactericidas presentes no esperma.

Biotecnologia: as patentes como indicadores de tendência tecnológica e de investimento
Prof.ª Doutora Raquel Antunes
26 Jul. 2019

Outrora um investimento de risco, a Biotecnologia é hoje uma forte aposta para o futuro. Os números são claros: os pedidos de patente continuam a crescer, e Portugal segue esta tendência de forma segura.

Definição de tratamentos na ambicionada Medicina de Precisão. Serão os testes genéticos a resposta?
Dr.ª Joana Espiga de Macedo, médica oncologista no Centro Hospitalar de Entre o Douro e Vouga
15 Jan. 2019

Desde longa data que, nos tumores sólidos, a biópsia tecidular é o exame de excelência para diagnóstico histológico e estudos imunoquímicos, genéticos e moleculares das diversas neoplasias. Tradicionalmente, as ferramentas anatómicas, patológicas e também as imagiológicas permitiram, em combinação, uma avaliação de cada tumor sólido e o seu estadiamento de acordo com a classificação clínica de Tumor, Nódulo e Metástase (TNM). Até à data, a maioria dos tratamentos em Oncologia são baseados nesse estadiamento e classificação. Acrescentar informação obtida através da Medicina Molecular é essencial para otimizar a terapêutica de cada doente e de cada tumor.

A importância do TEV para os doentes com cancro
Dr. Miguel Barbosa, oncologista do CHTMAD
15 Out. 2018

O tromboembolismo venoso (TEV) é uma entidade que inclui a trombose venosa profunda e a sua maior complicação, a embolia pulmonar.  Na trombose venosa profunda forma-se um trombo (coágulo de sangue) numa veia localizada profundamente que dificulta ou impede o fluxo normal de sangue. A maioria dos trombos ocorre na coxa ou na perna, mas também podem acontecer no braço ou noutras partes do corpo.

Newsletter

Agenda

Agenda News Farma

PUB

 

 

 

 

 

Apoio

AstrazenecaBayerBMSGSKIpsenLillyMerck

 

MSDViatrisPfizerSanofi GenzymeTakeda